Empresários: estímulo a crédito impedirá setor imobiliário de entrar em colapso

O remanejamento de R$ 22,5 bilhões para o crédito imobiliário, anunciado na última quinta-feira (28) pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é essencial para impedir que o setor entre em colapso em um momento de alta de juros e de restrições nos financiamentos habitacionais. A avaliação é de economistas e empresários do setor ouvidos pela Agência Brasil.

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), José Carlos Martins, disse que as medidas de estímulo mostram que o governo resolveu interferir para impedir que o setor imobiliário se retraia ainda mais depois de um primeiro trimestre de contração na economia. “O reforço no crédito imobiliário demonstra que o governo resolveu olhar para o setor. Até agora, não tínhamos sinal nenhum de ações do governo.”

Para recuperar a construção civil, no entanto, o governo diz que medidas adicionais são necessárias. “Imaginamos que isso seja só o começo de medidas que ponham o setor novamente nos trilhos. Além do setor imobiliário, é necessário estimular a construção pesada, o que deve vir com o anúncio das parcerias público-privadas, das novas concessões de infraestrutura e da terceira fase do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento]”, acrescentou o empresário.

O economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito, aprovou o remanejamento do compulsório – parcela que os bancos são obrigados a manter retida no Banco Central – para o crédito imobiliário. Apesar de a medida beneficiar um segmento da economia, ele considera o estímulo válido para impedir o agravamento da crise no mercado de imóveis.

“Na verdade, o governo favoreceu o crédito direcionado [destinado a setores específicos da economia] contra o crédito livre [para qualquer tomador de empréstimo]. Mesmo assim, a medida é importante para evitar que um setor importante da economia como o mercado imobiliário sofra ainda mais com a elevação da taxa Selic [juros básicos da economia] e estimule os investimentos”, disse.

O economista, no entanto, faz uma ressalva e entende que a retomada dos financiamentos habitacionais depende muito mais das expectativas em relação à economia do que ações isoladas. “As mudanças nas regras podem levar a resultados melhores no setor imobiliário. Pode porque não adianta oferecer crédito se o empresário não quiser investir na construção de imóveis porque a demanda está baixa.”

Diretora comercial do Banco Máxima, especializado em crédito imobiliário, Cláudia Martinez não considera o remanejamento do compulsório a medida mais importante para o setor. Para ela, a ampliação dos prazos mínimos da Letra de Crédito Imobiliário (LCI) de 60 para 90 dias ajudará a fornecer mais capital para instituições financeiras pequenas e médias em tempos de fuga de recursos da caderneta de poupança.

Segundo Cláudia, o alongamento nos prazos ajuda a evitar o uso das LCI como instrumento de especulação e vai canalizar recursos para os bancos concederem empréstimos imobiliários. “As LCI estão sendo cada vez acionadas como um instrumento importante para a manutenção do segmento imobiliário. Elas são uma alternativa à incapacidade do sistema financeiro de suprir a demanda do mercado e manter minimamente a economia em pé.”

As LCI são títulos privados que permitem aos bancos captar recursos para serem emprestados no crédito imobiliário sem recorrerem à poupança. A maior fonte de dinheiro para esse tipo de empréstimo vem da exigência de que 65% dos depósitos na poupança sejam aplicados em crédito imobiliário. No entanto, a caderneta enfrenta a fuga de recursos, com retirada líquida de R$ 29,9 bilhões de janeiro a abril.

A diminuição dos recursos da poupança fez os bancos aumentarem os juros dos financiamentos imobiliários. Além disso, a Caixa Econômica Federal, que concentra 70% do crédito imobiliário no país, diminuiu o limite para o financiamento de imóveis usados, restringindo ainda mais o mercado.
sistema para gerência administradoras de imóveis aplicativo aluguel para imóveis aplicativo para administração para imobiliárias app para administrar de administradoras de condomínios app para gerenciar para imobiliárias software de administração administradoras de imóveis software de administrar de condomínios aplicativo de administrar prédios aplicativo de administração para condomínios programa para gerenciar terrenos app controle de prédios sistema para locação de imobiliárias programa de gerenciamento prédios software gerência para terrenos aplicativo para controlar prédios aplicativo gerência de condomínios software controlar para administradoras de imóveis programa administração para administradoras de imóveis software administrar de prédios aplicativo de controle para condomínios sistema de gerenciamento de administradoras de condomínios aplicativo de gerir de prédios aplicativo de aluguel de lojas sistema locação imobiliárias programa de administrar programa administração para terrenos software gestão de prédios aplicativo de locação de condomínios app de controle de prédios sistema gestão terrenos programa controle para administradoras de imóveis aplicativo de administração de terrenos aplicativo de administração para imobiliárias sistema gerência imóveis software de administradoras de imóveis aplicativo gerência para apartamentos software de locação administradoras de condomínios programa administração de condomínios sistema de gerenciar de apartamentos software para locação de salas sistema gestão para terrenos software de controlar para lojas app aluguel lojas sistema de gerenciar imobiliárias app para gerenciar de imobiliárias aplicativo para aluguel para apartamentos app de gerir de administradoras de imóveis sistema para gerenciamento prédios software para gerir imobiliárias aplicativo de administrar imobiliárias