Custos da construção civil sobem mais na Região Sul.

O custo nacional da construção, calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pela Caixa Econômica Federal, fechou dezembro com o valor médio de R$ 855,44 o metro quadrado, sendo R$ 453,79 relativos aos materiais e R$ 401,85 a mão de obra.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Caixa Econômica Federal, a Região Sul foi a área do país onde os custos da construção mais subiram em 2012. É o que mostra o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelas duas instituições e divulgado nesta quinta-feira (10) pelo IBGE.

Enquanto a média nacional fechou o ano com uma elevação de 5,68% no acumulado dos últimos 12 meses (apenas 0,03 pontos percentuais a mais que em 2011), a Região Sul teve uma alta de 7,96% no mesmo período.

Além do Sul, outras duas regiões tiveram aumentos acima da média nacional: Norte, com 6,53%, e Centro-Oeste, com 6,26%. Por outro lado, o crescimento ficou abaixo da média no Sudeste (5,18%) e no Nordeste (4,95%). O fator que mais contribuiu para a elevação dos custos em todo o Brasil foi a elevação do valor da mão de obra.

Apesar de terem subido menos que a média nacional em 2012, os custos da construção no Sudeste fecharam o ano como os mais altos do país. Enquanto o valor médio do metro quadrado no território nacional (que inclui gastos com materiais e mão de obra) fechou dezembro em R$ 855,44, no Sudeste esta cifra foi de R$ 886,58.

Desse valor médio nacional de R$ 855,44, as despesas com materiais ficaram em R$ 453,79 e com mão de obra em R$ 401,85. Os valores são superiores aos registrados em dezembro de 2011, quando esses números foram, respectivamente, de R$ 446,35 e R$ 363,30.

Veja o que a pesquisa do IBGE e da Caixa revelou sobre os custos da construção em cada região do país.

Região Sul

Essa foi a região onde os custos de construção mais subiram no Brasil em 2012. O estado que registrou a maior variação anual foi Santa Catarina, onde os preços subiram 10,18% no ano.

Segundo o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (SindusCon) de Florianópolis, Hélio Barros, o motivo da alta é a escassez de mão de obra, que também está com custo acentuado.

O valor médio do metro quadrado na Região Sul fechou dezembro em R$ 867,62. O Paraná registrou o maior preço médio do metro quadrado no mesmo mês (R$ 897,12) na região, e a segunda maior variação do ano entre todos os estados (9,19%).

Região Sudeste

Apesar de os preços terem subido mais na Região Sul, o valor médio mais alto do metro quadrado foi registrado na Região Sudeste (R$ 886,58). Além disso, em dezembro de 2012, o estado do Rio de Janeiro era o mais caro para se construir, não só na Região Sudeste, mas em todo o Brasil, com o preço médio do metro quadrado de R$ 965,60.

Região Norte

Depois da Região Sul, o Norte foi a parte do país onde os custos de construção mais cresceram em 2012. O aumento de 6,53% fez com que o valor médio do metro quadrado terminasse o ano em R$ 873,05. Encabeça a lista o estado do Acre com o preço do metro quadrado por R$ 948,48, em dezembro.

Segundo Carlos Afonso, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Acre (SinduCon-AC), o preço do material é o grande responsável pelo alto valor do preço do metro quadrado.

\"O valor dos insumos são muito altos. A brita custa R$ 200 o m³ no Acre, enquanto em Porto Velho (RO) custa R$ 85 o m³. O cimento é muito caro por conta do transporte. Não temos uma infraestrutura que facilite o transporte. A rodovia BR não oferece boas condições. Tudo isso junto resulta na alta no preço da construção. Aqui só produzimos areia e tijolo cerâmico, os outros materiais são importados de outros lugares. O nosso ICMS é de 17%, encarecendo ainda mais o insumo\", explica Afonso.

Rondônia, que terminou dezembro com o custo de R$ 910,69 o metro quadrado da construção, ficando em terceiro lugar na região, sofre com a escassez de mão de obra.

Segundo Chagas Filho, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de Rondônia (SinduCon-RO), muitos trabalhadores do setor foram contratados para atuar nas obras das usinas de Jirau e Santo Antônio, projetos que fazem parte do Pacote de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, o que acarretou na diminuição de mão de obra.

\"Ficamos sem trabalhadores e precisamos contratar mão de obra de outros estados e municípios. O dissídio coletivo foi para uma média de 32%, enquanto no restante do país está na faixa de 8% a 10%. A especulação imobiliária é o segundo fator. Não tinha como não encarecer o custo da construção\", explica Chagas Filho.

Região Nordeste

A Região Nordeste foi a que apresentou a maior aceleração no custo regional no mês de dezembro, a variação foi de 1% contra 0,13% da Região Sudeste, que teve a menor. Mesmo assim, fechou o acumulado do ano 1,18% menor que o ano anterior.

O estado do Rio Grande do Norte foi o que apresentou a maior variação mensal da região, com um aumento de 3,82% no ano, deixando o valor do metro quadrado em dezembro em R$ 765,59, mas o maior preço está no Maranhão, onde o metro quadrado fechou o mesmo período custando R$ 871,01.

\"O reajuste no valor da mão de obra também ajuda a aumentar a variação. Tivemos que pagar o dissídio no final de novembro, acarretando na alta no mês subsequente\", explica Arnaldo Gaspar Junior, presidente do SindusCon-RN.

Centro-Oeste

O preço médio do metro quadrado na Região Centro-Oeste era de R$ 865,30 em dezembro de 2012, e o estado mais caro para se construir nessa época era o Distrito Federal, com preço médio de R$ 905,27.
programa para gerir para terrenos sistema administrar para imobiliárias programa gestão para imóveis programa para aluguel de terrenos app de controlar prédios programa para administrar para casas aplicativo para gerenciamento para administradoras software de prédios sistema de controlar de apartamentos aplicativo para gerência para administradoras de imóveis aplicativo administrar casas programa para gerenciamento administradoras de condomínios sistema de controlar para imobiliárias software gerir de lojas app controle prédios app de gerenciar casas app de gestão terrenos sistema gerenciamento para imóveis software controle apartamentos sistema de controle de lojas app de gerência apartamentos aplicativo para gestão para condomínios programa para administrar salas sistema gerenciar para imóveis sistema para imóveis software controlar de prédios software de administrar apartamentos aplicativo de gestão para casas app para administração administradoras de imóveis sistema aluguel imóveis aplicativo de gestão administradoras app aluguel imóveis programa administrar de prédios software para locação para terrenos app gerenciar terrenos software de administrar de lojas sistema de gestão para salas app para controlar salas programa para controlar de apartamentos app para gerenciamento para casas programa para locação para condomínios sistema de locação de prédios app gestão terrenos app para administração de casas programa para administrar de casas aplicativo gerenciamento de terrenos aplicativo de locação de administradoras de condomínios aplicativo aluguel para imobiliárias software gerir software de controle de apartamentos